sábado, 12 de fevereiro de 2011

Tenho medo do futuro (...)

“Tenho 17 anos e estou no último ano do Ensino Médio. Tenho medo do futuro. Tenho medo do que vai acontecer depois, medo do vestibular, de toda essa pressão. Pensar que não vou ter meus amigos ao meu lado para me apoiar me deixa mais apavorada ainda. Preciso de conselhos.”

É engraçado como a gente se engana fácil. Vamos levando nossa vidinha, dia após dia, achando que está tudo sempre igual e que sabemos exatamente como será o dia seguinte. Mas a verdade é que do futuro não sabemos nada. NADA. Em momentos de grande transição como o que a M. está vivendo nos damos conta disso, mas o fato é  que “tudo muda o tempo todo no mundo”.
Desesperador? Pode ser um pouco porque adoramos a sensação de “ter tudo sob controle”, de conhecer tudo que no cerca. Mas se conseguirmos entender que a vida é algo em constante movimento talvez fique menos complicado lidar com o incerto.
Se as coisas mudam independentemente da nossa vontade, e do fato de estarmos ou não prontas, o melhor a fazer é não lutar contra isso. As mudanças chegarão quer a gente queira ou não. Portanto, o melhor é encará-las de frente e de um jeito positivo.
Portanto, querida M., não deixe esse medo tomar conta de você.
O vestibular está aí e você não terá como escapar. Mas também é verdade que ele estará aí no ano que vem, e no outro e no outro. E quando você de fato estiver preparada para entrar na faculdade, você vai passar. Pode ser agora, pode ser daqui dois anos. Não importa. Sei que deve ter cobrança dos pais, nem sempre muito compreensivos nesses momentos (justo quando a gente mais precisa, né? ai, ai, ai) mas pelo menos tente cobrar menos de si mesma.
Seus amigos também não desaparecerão do planeta só porque vocês não estudam mais juntos. É verdade que com o tempo pode ser que vocês se afastem, mas, se esse for mesmo o caso (nem sempre é), será um processo natural, longo e indolor. Não será de repente. E enquanto isso outros amigos incríveis vão aparecer na sua vida. Um monte deles. Te garanto!!
Enfim, se não temos mesmo uma bola de cristal, o melhor é pensar o futuro de um jeito positivo, sonhando com as boas surpresas que a vida pode te trazer. E vamos dando conta do que aparecer, seja problema ou alegria, conforme a gente consegue. Sem sofrimento antecipado.

Curtiu?Comentem! 


Fonte:Capricho & Texto: Fernanda Bastos

                                                                                                   Por:Alê Soares



Nenhum comentário:

Postar um comentário